Beneficiamento

A ETE Curado possui um sistema de tratamento biológico constituído de uma lagoa facultativa e filtro anaeróbio de fluxo ascendente, além de um tratamento físico-químico realizado no flotador, elemento principal da Estação de Tratamento de Agua de Reuso - ETA. 

Quando a transportadora chega ao pátio da ETE Curado é verificado o MANIFESTO DE CARGA e o cadastro da empresa, momento em que são inseridos os dados da entrada de efluentes indicando o dia, hora, empresa que realizou o transporte e nome do motorista.

Manifesto de Carga é o documento que constam os dados do gerador do Resíduo, do transportador e os dados referentes ao resíduo transportado. Esse documento acompanhará a carga até a ETE Curado que dará a confirmação no documento do recebimento dos resíduos declarados.

O efluente, cujo pH está entre 6 (seis) e 8 (oito), é direcionado para o tanque de Recepção I. Os efluentes com pH  inferior a  6 (seis) ou superior a 8 (oito) são direcionados para um tanque anexo visando a correção/ neutralização do pH antes de ser bombeado para o tanque de Recepção I, elemento de tratamento prévio. O tanque de Recepção I tem como objetivo reter gordura e sólidos sedimentáveis, antes de ser direcionado para o tanque de equalização.

Após a etapa prévia de recepção, o efluente bruto seguirá, após passar por caixa de areia e gradeamento mecanizado, para o tanque de equalização e na sequencia do flotodecantador, cujo objetivo é homogenizar e monitorar a carga orgânica do efluente e reduzir os parâmetros de sólidos, respectivamente.

Concluída a etapa de primária de tratamento, o efluente segue para a etapa secundária como início na Lagoa Aerada Facultativa. Esta é uma etapa do sistema constituído unicamente por processos naturais, porém com introdução mecânica de oxigênio através de aeradores. Durante esta etapa, o efluente será depurado por processos naturais que irão resultar na redução significativa da carga orgânica.

A etapa seguinte é o Filtro Anaeróbio de Fluxo Ascendente, cujo objetivo é a remoção de matéria orgânica  dissolvida através das bactérias que se aderem ao leito de pedra existente nesse elemento e tem como vantagem a resistência às variações de vazão afluente. A aeração desse elemento é natural, ocorrendos nos espaços vazios entre as pedras.

O efluente após o filtro anaeróbio seguirá para o Decantador Secundário, unidade de tratamento com o objetivo de reter os sólidos que afluem do filtro anaeróbio.

O próximo percurso do efluente é passar pelo flotador da ETA - Estação de Tratamento de Água para Reuso. Nessa etapa o efluente receberá tratameto físico - químico para que possa estar adequado ao parâmetros legais. Ao sair da ETA, o efluente ainda receberá a radiação da lâmpadas ultravioletas a fim de assegurar a esterelização do efluente antes de se lançado ao corpo receptor.

O lodo gerado nas etapas de tratamento seguirá para a Prensa Desaguadora de Lodo, isto é, para um equipamento utilizado na desidratação de lodos. Após a etapa de desidratação, o lodo é encaminhado para o processo de compostagem.