Beneficiamento

A ETE Curado possui um sistema de tratamento biológico constituído de uma lagoa facultativa e filtro anaeróbio de fluxo ascendente, além de um tratamento físico-químico constituído de floculante.

Quando a transportadora chega ao pátio da ETE Curado é verificado o MANIFESTO DE CARGA e o cadastro da empresa, momento em que são inseridos os dados da entrada de efluentes indicando o dia, hora, empresa que realizou o transporte e nome do motorista.

Manifesto de Carga é o documento que constam os dados do gerador do Resíduo, do transportador e os dados referentes ao resíduo transportado. Esse documento acompanhará a carga até a ETE Curado que dará a confirmação no documento do recebimento dos resíduos declarados.

O efluente, cujo pH está entre 6 (seis) e 8 (oito), é direcionado para o tanque de Recepção I. Os efluentes com pH  inferior a  6 (seis) ou superior a 8 (oito) são direcionados para um tanque anexo visando a correção/ neutralização do pH antes de ser bombeado para o tanque de Recepção I. O tanque de recepção I tem como objetivo reter gordura e sólidos sedimentáveis.

Após a etapa de recepção, o efluente bruto seguirá, após passar pela caixa de areia e gradeamento, para Lagoa Facultativa. Esta é uma etapa do sistema constituído unicamente por processos naturais, que podem ocorrer em três fases da lagoa: zona anaeróbia, zona aeróbia e zona facultativa. Durante esta etapa, que pode demorar vários dias, o efluente será depurado por processos naturais que irão resultar em sua purificação.

A etapa seguinte é o Filtro Anaeróbio de Fluxo Ascendente, cujo objetivo é a remoção de matéria orgânica dissolvida e que pode ser utilizado para esgotos diluídos ou concentrados e resiste bem às variações de vazão afluente.

O efluente após o filtro anaeróbio seguirá para o Decantador Secundário, unidade de tratamento com o objetivo de reter os sólidos que afluem do filtro anaeróbio. nessa fase também é feito um tratamento físico-químico com o objetivo de esterelizar o efluente.

O lodo gerado, tanto no filtro anaeróbio como no decantador, seguirá para a Prensa Desaguadora de Lodo, isto é, para um equipamento utilizado na desidratação de lodos. Após a etapa de desidratação, o lodo é encaminhado para o processo de compostagem.

O efluente líquido, já tratado, antes de ser lançado no Rio Capibaribe, Corpo receptor passará pelo processo de desinfecção por ultravioleta e tanque de desgaseificação.